terça-feira, 31 de março de 2009

LEVANDO FUMO


Ao mesmo tempo em que anunciou a prorrogação da diminuição do IPI para automóveis e materiais de construção, e a suspensão da cobrança de Cofins para motocicletas, o governo apresentou um aumento das alíquotas de impostos para cigarros.
As marcas mais populares sofrerão reajuste de 20%, enquanto que as mais caras terão aumento de 25%. Segundo o ministro da Fazenda, o aumento do preço dos cigarros é uma forma de compensar a desoneração dos outros setores, em que o governo perderá receita de aproximadamente R$ 1,5 bilhão no corrente ano. O que talvez não seja verdade, já que a diminuição dos impostos leva ao aumento do consumo e conseqüente elevação da arrecadação. Perde-se no valor por unidade, ganha-se no valor total.
Ao que parece, o ministro teria proposto também a elevação dos impostos para bebidas alcoólicas, mas essa parte do projeto teve veto presidencial... hehehehehe

2 comentários:

Kenia Mello disse...

Pense no lado bom da coisa: provavelmente alguns companheiros deixarão de fumar, preservando, assim, sua saúde, contribuindo para desocupar e desonerar os leitos dos hospitais públicos e os cofrinhos do erário. :P

Marcelão disse...

Não tenho nada contra... Por mim, o maço de cigarros poderia custar mais de R$10, como ocorre nos EUA!
hehehehehe